Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Raymundo de Castro Moniz de Aragão (Cadeira No. 89)

Membro Titular

Secção de Ciências Aplicadas à Medicina

Cadeira No. 89 - Patrono: João Moniz Barreto de Aragão

Eleito: 30/05/1963 - Posse: 21/11/1963

Antecessor: Aleixo de Vasconcellos 

Falecido: 08/12/2001

 

Nascido Raymundo Augusto de Castro Moniz de Aragão a 27 de maio de 1912, em Salvador, no Estado da Bahia, filho do Médico e Acadêmico João Moniz Barreto de Aragão e D. Maria Augusta da Castro Moniz de Aragão. 

Diplomado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro, com curso de aperfeiçoamento em embriologia na Faculdade de Medicina de São Paulo, além de vários cursos de aperfeiçoamento em vírus vacínico no Instituto Butantã (SP) e na Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro. Doutor em Química pela Universidade do Brasil.

Na ocasião de sua posse da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Estudos Sobre o Estafilococo penicilinico-resistente”. Passou a Emérito em 24 de novembro de 1989.

Foi professor de Química da Escola Nacional de Química e primeiro reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), originária da Universidade Brasileira.

Foi Diretor do Laboratório de Saúde Pública do Estado do Rio de Janeiro; reorganizador do Laboratório de Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Norte; Diretor dos Departamentos de Veterinária, de Abastecimento e de Alimentação da Prefeitura do Distrito Federal; membro do Conselho Central da Fundação da Casa Popular; perito da Organização Mundial de Saúde para a Farmacopeia Internacional e Preparados Farmacêuticos; membro do Instituto Brasileiro de Educação, Ciências e Cultura, do Ministério das Relações Exteriores; membro da Comissão de Biofarmácia; Diretor do Laboratório Cenrtal de Controle de Drogas, Medicamentos e Alimentos, do Ministério da Saúde; catedrático da Escola Nacional de Química, em faculdades e Escolas Superiores do Rio de Janeiro, São Paulo, Estado do Rio, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Os trabalhos ascendem a 38, dos quais: 2 monografias, intituladas “Estreptomicina” e “Dosagem Biológica das Vitaminas”; artigos didáticos e de divulgação; estudos experimentais e trabalhos originais diversos, destacando-se os relativos à “Estiopatogenia das Infecções Urinárias Altas, nos Lactentes”; “Dosagem microbiológica da Tiamina”; “Verificação Clínica da Influência dos anticorpos Rh, Presentes no Leite Materno”; “Estudo sobre as shigeloses em crianças, no Rio de Janeiro” e “Doença de Foshay-Mollaret”, etc.

Foi membro de Sociedades científicas nacionais e estrangeiras, destacando-se a Academia Nacional de Farmácia (Membro Titular), a Society of Ameridan Bacteriologist, a Societé de Chimie Biologique (Paris), a American Genetic Association e Society of Industrial Microbiology.

Foi ministro da Educação no governo Castelo Branco, de 30 de junho a 04 de outubro de 1966. 

Faleceu em 08 de dezembro de 2001.