Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Pedro de Almeida Magalhães (Cadeira No. 12)

Membro Titular

Secção de Medicina

Patrono da Cadeira No. 12

Eleito: 17/11/1898 - Posse: 06/04/1899 - Sob a presidência de Antonio José Pereira da Silva Araújo

Saudado por: Antonio José Pereira da Silva Araújo

Falecido: 13/02/1909

O Dr. Pedro de Almeida Magalhães nasceu em Vassouras - Rio de Janeiro, no dia 27 de novembro de 1864, filho de João Paulo de Magalhães e de Lucilla Eugênia Teixeira de Magalhães.

Fez seus estudos preparatórios no Colégio Ateneu Fluminense, naquela cidade, e matriculou-se na Faculdade de Medicina do Rio de janeiro em 1882, onde doutorou-se em Medicina em 1887, defendendo tese sobre “Amiotrofias de origem periférica”.  No ano seguinte, partiu para a Europa para completar seus estudos, onde permaneceu por três anos.

O Dr. Pedro de Almeida Magalhães candidatou-se a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 15 de setembro de 1898, apresentando a memória intitulada: “Ruídos de sopros cardíacos no decurso da arterioesclerose generalizada”.

Médico e cientista, foi Professor de Patologia Interna e de Clínica Médica da Faculdade Nacional de Medicina. Fez o primeiro concurso para a Faculdade em 1902, sendo dispensado do segundo concurso pelas obras de mérito que apresentava.

Travou célebre polêmica com Miguel Couto, sobre a natureza do sopro na insuficiência aórtica, elevando a auscultação cardíaca às maiores minúcias exegéticas.

Publicou vários trabalhos, dentre eles “Estudos de Clínica Médica”, “Valor da percussão no diagnóstico dos aneurismas aórticos”, “O fígado e o baço na anquilostomíase”, e “Da revolução na terapêutica antiflogística”. Merece especial menção a monografia “O coração no beribéri”, ainda hoje considerada obra mestra da bibliografia nacional. Foi colaborador dos periódicos Brasil Médico, do Rio de Janeiro, e Revista Médica, de São Paulo.

A percussão da fosseta de Mohrenheim para o diagnóstico precoce da tuberculose, problema crítico premente na época, foi por ele estudado com afinco, tendo inspirado mais tarde a tese de um de seus discípulos, o Dr. Rodrigues Machado, intitulada “Sinal de Almeida Magalhães”.

O Acadêmico Pedro de Almeida Magalhães faleceu aos 44 anos, na cidade de Benjamim Constant em Minas Gerais, no dia 13 de fevereiro de 1909.