Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Pedro Clovis Junqueira (Cadeira No. 84)

Membro Titular

Secção de Ciências Aplicadas à Medicina

Cadeira No. 84 - Patrono: Manoel de Abreu

Eleito: 07/05/1992 - Posse: 17/11/1992 - sob a presidência de Rinaldo Victor De Lamare

Saudado por: Clementino Fraga Filho

Antecessor: Luiz Renato Carneiro da Silva Caldas

Falecido: 01/10/2010

Nasceu em 02 de junho de 1916 em São Luís (MA).

Filho de Nelson Machado Junqueira e Zelia Bessa Junqueira.

Mudou-se com sua família para o Rio de Janeiro, ainda criança. Seu pai esperava que o filho encontrasse oportunidades no comércio; todavia, tornou-se atraído pela Medicina. Graduou-se na Escola Nacional de Medicina do Brasil (1939).

Foi discípulo de Walter Oswaldo Cruz, e sua formação incluiu passagens pela Inglaterra, Alemanha, Holanda, França, Argentina e Estados Unidos, quando passou em primeiro lugar no Curso de Pós-graduação em Hematologia do Instituto Oswaldo Cruz.

Em 1945, passou a dedicar-se à Medicina Transfusional, fundando um Serviço no Rio de Janeiro. Mais tarde, se juntou Professor Dr. Hildebrando Monteiro Marinho, fundindo Hematologia e Transfusão em uma única unidade.

Com Walter Oswaldo Cruz, deu o primeiro curso de especialização em Hematologia em Manguinhos, em 1949. Junto com Carlos da Silva Lacaz, Oswaldo Mellone e Michel Abu Jamra, fundou a Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (Sociedade Brasileira de Hematologia e Hematologia).

Em 1951, apresentou trabalhos sobre grupos sanguíneos em índios brasileiros em duas conferências internacionais em Portugal e na Itália. No mesmo ano, participou da criação da Comissão da Sociedade Brasileira de Genética - Genética Humana. Liderou, em 1954, a delegação brasileira para o V Congresso da Sociedade Internacional de Transfusão de Sangue realizada na Sorbonne, em Paris. Nesse mesmo ano, trabalhou em projetos em conjunto com Jean Dausset e AE Mourant.

Foi eleito Presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia por dois mandatos consecutivos; trabalhou pelo reconhecimento da especialidade e foi o responsável pela aquisição da sede própria da Sociedade. Premiado Professor e Presidente Honorário da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia.

Ficou a seu cargo a criação do Serviço de Hemoterapia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (1978), permanecendo na chefia do Serviço até dezembro de 1991.

Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Membro do Conselho Consultivo da Sociedade Internacional de Transfusão de Sangue; Diretor do Centro Médico do Departamento de Saúde; Presidente da Sociedade Latino-Americana de Hematologia e Membro da Divisão Técnica de Hematologia do Conselho Nacional de Saúde Contínua Educação.

Professor de Pós-graduação de Hematologia da PUC-RJ e Regente de Genética. Professor Emérito da Faculdade de Medicina de Teresópolis em 1987.

Deu seis cursos de Pós-graduação, 20 cursos sobre Hematologia, mais de 170 categorias, com mais de 42 cursos em seu currículo. Além disso, publicou mais de 40 artigos científicos em revistas proeminentes.

Foi um dos poucos brasileiros com publicações na revista Nature, na qual publicou três artigos. Escreveu e traduziu livros, escreveu capítulos de livros e várias monografias. Participou de 70 conferências nacionais e 27 conferências internacionais, incluindo 24 reuniões da Associação Americana de Bancos de Sangue. Nestas conferências, apresentou uma centena de trabalhos, participou de 85 mesas redondas e deu 35 palestras.

Recebeu o Prêmio Laboratório da Sociedade Acadêmica de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro em 1939; Medalha de "Mérito Professor Clementino Fraga" concedida pelo governador da Guanabara, em 1974; Diploma da Grã-homenagem prestada pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e o Prêmio Alfred Jurzykowski, pela Academia Nacional de Medicina, em 1998.

Sua contribuição para a Medicina Transfusional brasileira foi de tamanha importância que o Acadêmico foi homenageado por Marcos Alfredo Pimentel com um livro sobre sua vida chamado: “A Trajetória de um Mestre”. Em sua homenagem, o Hospital Geral de Bonsucesso batizou o Serviço de Hemoterapia da Unidade de Professor Pedro Clovis Junqueira.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Autotransfusão”.

Faleceu em 01 de outubro de 2010.