Academia Nacional de Medicina

Português Inglês


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Octávio Barbosa de Couto e Silva (Cadeira No. 07)

Membro Titular

Secção de Medicina

Cadeira No 7 - Patrono: José Pereira Rêgo

Eleito: 12/06/1958 - Posse: 03/09/1959

Antecessor: Murillo de Souza Campos

Saudado por Inaldo de Lyra Neves- Manta

Falecido: 05/01/1979

Nascido em 09/04/1901, em Minas Gerais. Filho de Dr. José Luiz de Couto e Silva e D. Francisca Horta Barbosa de Couto e Silva. Formou-se em 1922, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Títulos:

Interno Efetivo de Clínica Médica do Prof. Miguel Couto, Auxiliar Acadêmico da Assistência Pública, e aluno do “Curso de Aplicação” do Instituto Oswaldo Cruz e do Curso de Farmácia da Faculdade Nacional de Medicina.

Professor Catedrático de Fisiologia da Faculdade de Ciências Médicas exerceu, interinamente, as cátedras da 2ª Cadeira de Fisiologia (1934-38) e da Higiene (1947-48 e 51-53) na Faculdade Nacional de Medicina. Foi Professor de Fisiologia Aplicada no Curso de Higiene da Saúde Pública (1931-38).

Livre Docente de Fisiologia (1926) e de Higiene (1942) da Faculdade Nacional de Medicina representou os docentes livres na Congregação dessa mesma Faculdade em 1934.

O Prof. Octavio Barbosa do Couto e Silva, percorreu todos os postos da carreira do Magistério Oficial (Chefe de laboratório e Chefe de serviço de Clínica Médica) além de evidenciar no setor das pesquisas, espírito de investigador hábil, quer como Assistente do prestigioso laboratório dos irmãos Osório de Almeida, quer como membro do “staff” de fisiologia da Universidade de Chicago (como” Rockfeller Foundation Fellow”).

Colaborador eficiente dos irmãos Osório de Almeida, com eles publicou uma série de trabalhos de indiscutível importância científica, em revistas nacionais e estrangeiras. Suas publicações evidenciaram conceitos pessoais de valor e versaram sobre problemas de fisiologia, de higiene e de clínica médica.

Entusiasta das questões educacionais atuou, ativamente, em debates orais, conferências e publicações de interesse e coletivo na Campanha Nacional de Educação.

Seu esforço no sentido de aproximar, culturalmente, o Brasil de todos os países da América é digno dos maiores encômios.

A Memória apresentada para concorrer à vaga na Academia Nacional de Medicina foi “Em Torno da Febre Amarela”.

Faleceu em 05 de janeiro de1979, na Cidade do Rio de Janeiro.


Av. General Justo, 365, 7° andar
Rio de Janeiro - 20.021-130
Tel: (21) 3970-8150