Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Marcos Bezerra Cavalcanti (Cadeira No. 34)

Membro Titular

Secção de Cirurgia

Patrono da Cadeira No. 34

Eleito: 27/08/1903 - Posse: 27/08/1903 - Sob a presidência de Joaquim Pinto Portella

Saudado por: Theóphilo de Almeida Torres

Antecessor: Henrique Alexandre Monat

Emérito: 21/06/1928

Falecido: 16/10/1932

Presidente da Academia Nacional de Medicina - 1909 a 1910

O Dr. Marcos Bezerra Cavalcanti nasceu em Natal, no Rio Grande do Norte, no dia 22 de outubro de 1854. Foi filho de Manuel Bezerra Cavalcanti e Josefa Lourenço Cavalcanti.

Transferiu-se para o Rio de Janeiro aos 16 anos de idade, estudou no Mosteiro de São Bento e, depois, matriculou-se na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, onde formou-se em Medicina, em 1878, defendendo tese sob o título “Do Hematocele”. Ainda estudante, recebeu a primeira condecoração: Cavaleiro da Ordem da Rosa, por serviços durante a grande epidemia de febre amarela ocorrida em 1876.

Depois de formado, clinicou durante dois anos na cidade de Jundiaí, em São Paulo.

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, sendo empossado no dia 27 de agosto de 1903. Tornou-se Emérito em 1928 e Presidente em 1909. É o Patrono da Cadeira 34.

O Dr. Bezerra Cavalcanti foi Lente e Catedrático de Operações e depois de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (atual UFRJ) e Cirurgião e Chefe de Serviço do Hospital da Santa Casa da Misericórdia e da Beneficência Portuguesa.

Foi, também, um dos fundadores da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, juntamente com os médicos Lucas Antônio de Oliveira Catta Preta, Hilário Soares de Gouvêa e Henrique Alexandre Monat, tendo sido seu Presidente em 1894, além de Membro do Conselho Superior de Ensino e representante do Brasil no Congresso Internacional de Medicina de Lisboa e de Londres e no Congresso do Câncer em Paris.

Dentre suas obras destacam-se “Colotomia lombar e colotomia ilíaca”, “Osteossarcoma no maxilar superior”, “Cura Radical da hérnia”, “Ferida acidental do cotovelo” e “Da frequência do cancro no Brasil”.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 16 de outubro de 1932.