Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

José Dantas de Souza Leite (Cadeira No. 48)

Membro Titular

Secção de Medicina

Cadeira No. 48 - Patrono: Marcio Philaphiano Nery

Eleito: 03/10/1901 - Posse: 03/10/1901 - Sob a presidência de Nuno Ferreira de Andrade

Falecido: 01/06/1925

Nasceu em 1859. É considerado por alguns como natural da Bahia, mas é, na verdade, natural de Sergipe, pois o município de Santa Luzia do Rio Real, onde nasceu, pertencia na época à Província da Sergipe Del Rey.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Bahia, em 1880. Dez anos depois de sua graduação, em 1890, diplomou-se mais uma vez em Medicina, na Faculdade de Medicina de Paris, trabalhando no serviço do Prof. Charcot. Defendeu a tese intitulada “De l’acromegalie. Maladie de Pierre Marie” baseado em uma casuística de 38 pacientes, dos quais 8 observados no serviço onde trabalhava e, os 30 restantes, publicados na literatura mundial. Fez seu internato nos Asiles d’Aliénés de la Seine.

Foi sempre considerado um profissional brilhante, e tornou-se amigo e colaborador do Prof. Pierre Marie (o discípulo mais proeminente do Prof. Charcot). A mais conhecida contribuição científica, foi seu trabalho sobre acromegalia, realizado no ano de 1890. Um ano mais depois, publicou o livro “Essays on Acromegaly” em coautoria com Pierre Marie. Este trabalho excepcional consagrou-o como grande pesquisador no cenário internacional e o primeiro médico brasileiro a contribuir de maneira inovadora para o desenvolvimento da neura endocrinologia mundial.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1901.

Pertenceu a várias instituições científicas internacionais, inclusive a Antropological Society e a Medical-Psychollogical Society e foi o primeiro brasileiro a contribuir, no exterior, para o conhecimento das doenças hipofisárias e, consequentemente, para o desenvolvimento da Endocrinologia a nível mundial.

Em sua homenagem a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia criou um Prêmio que leva seu nome em reconhecimento por sua contribuição ao desenvolvimento da Endocrinologia.

Faleceu no dia 1º de junho de 1925, no Rio de Janeiro.