Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Henrique Alexandre Monat (Cadeira No. 34)

Membro Titular

Secção de Cirurgia

Cadeira No. 34 - Patrono: Marcos Bezerra Cavalcanti

Eleito: 12/12/1882 - Posse: 12/12/1882 - Sob a presidência de José Pereira Rego (Barão do Lavradio)

Falecido: 03/02/1903

 

 

Nasceu na Bahia, na cidade do Salvador, em 6 de junho de 1855. Filho de Henri Honoré Monat e de D. Flávia de Borja Castro Monat.

Iniciou os estudos médicos na Bahia, terminando no Rio de Janeiro e sendo-lhe colado grau em 1879 em Salvador, com toda a turma, na Faculdade de Medicina da Bahia. Faziam parte deste grupo os Drs. Francisco de Castro, Ismael da Rocha, Vicente de Souza, Freitas Henrique e muitos outros portadores de nomes ilustres.

Através de concurso, exerceu o cargo de preparador de Anatomia Descritiva na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e foi professor de Francês do Colégio Pedro II, então Ginásio Nacional, durante o governo Campos Salles.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1882, apresentando a memória intitulada “Da eletrólise nos estreitamentos da uretra”.

Foi um dos fundadores da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro em 1886, e atuou como redator da Revista da Sociedade da Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

Inventou um aparelho para operações da uretra, o qual foi largamente usado inclusive no Hospital Necker em Paris. Ao ser entrevistado pelo “O País” explicitou o desenvolvimento do processo de criação, sendo lançado logo no início do governo republicano, durante a primeira administração Sampaio Ferraz. Mais tarde, voltou por duas vezes à França, onde fez estudos de aperfeiçoamento.

Dentre os trabalhos que publicou, destacam-se o “Método Prático de Frances”, “Caxambu”, e “Estudo Sobre Sinônimos, Parônimos e Antônimos”. No campo da Medicina, pode-se destacar as seguintes publicações “Das Gangrenas” , “Anatomia Patológica” , “Histologia dos Epitélios”, “Réplica Sobre o Novo Uretrônomo do Dr. Bulhões”, “Tratamento Radical da Hidrocele” (1889), “Tratamento dos Estreitamentos da Uretra” (1890), “Cálculo Renal”, “Migração pela Massagem”, “Litotricia” (1891), “Duas Pedras na Bexiga, uma porção prostática da Uretra” , “Talha Hipogástrica” (1891), “Cistite – Fístulas Urinárias – Talha – Extirpação das Fístulas” (1892), “Moléstias das vias urinárias – Cistite Tuberculosa – Cistotomia” (1892), dentre outros.

Faleceu em 3 de fevereiro de 1903, aos 47 anos, na cidade do Rio de Janeiro.