Academia Nacional de Medicina

Português Inglês


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Francisco Ferreira de Abreu (Barão de Teresópolis)

Membro Titular

Eleito: 15/05/1851 - Posse: 17/07/1851 - Sob a Presidência de José Francisco Xavier Sigaud

Falecido: 14/04/1885

Nasceu em 18 de novembro de 1823, em Vila do Rio Pardo, na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Filho de Guilherme Ferreira de Abreu e de Felisberta Luiza de Abreu.

Doutorou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1845, defendendo a tese intitulada “Discriminação Geral dos Corpos Orgânicos e Inorgânicos”. E obteve posteriormente pela Faculdade de Medicina de Paris os graus de Bacharel em Ciências e o de Doutor em Medicina em 1849.

Destaca-se sua contribuição ao ensino da química em nosso país, especialmente o curso livre, entre 1850 e 1852, que ministrou no Museu Imperial e Nacional, após seu retorno da França, no qual introduziu noções de Química Toxicológica. Este curso obteve grande assistência de público, especialmente de professores do Município da Corte, os quais sofreram importante influência da introdução destes novos conhecimentos da química. Foi o primeiro que generalizou os processos de Douflo e Millon, de modo a aplicá-los na pesquisa de todos os venenos metálicos.

Ainda no campo acadêmico tornou-se professor substituto da Seção de Ciências Cirúrgicas (1851), Lente Catedrático de Medicina Legal (1854-1877), e Vice-Diretor (1873-1881) da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1851 apresentando a Memória intitulada “Inspirações do Éter Sulfúrico nos Enfermos Operados. ”

Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, a Sociedade Auxiliadora da Indústria Nacional e foi Presidente da Comissão de Química e Toxicologia do Instituto Farmacêutico do Rio de Janeiro em 1874.

Seu título de Barão de Teresópolis foi-lhe concedido por D. Pedro II por Decreto Imperial de 23 de setembro de 1874.

Como médico honorário da Imperial Câmara, assistiu ao nascimento do Príncipe Pedro, filho do Conde D’Eu em 1875.

Foi Professor de Física e Química das filhas de Pedro II, Izabel e Leopoldina, e representou o Brasil em vários congressos científicos, como o Congresso de Higiene e Demografia celebrado em Haia, o Congresso Internacional de Londres, de 1881 e foi nomeado para representar o Império, no Congresso Farmacêutico, que se reunia em Bruxelas, em 21 de agosto de 1885, ano no qual faleceu.

Recebeu as condecorações de Comendador da Ordem da Rosa e Cavaleiro da Ordem de Cristo.

Publicou vários trabalhos de sua especialidade, dentre estes “Méthode pour rechercher par une seule opération, l’arsenic, l’antimoine, le mercure, le cuivre, le plomb, le zinc et l’argent” (1848), “Breves considerações sobre as inspirações de ether sulphurico, consideradas como meio capaz de servir a suspender a susceptibilidade dos enfermos operados” (1848), “História das Indicações e da prática da bronchotomia; apreciação dos methodos” (1851), “Considerações medico-legaes sobre um caso controverso de infracção do artigo 223 de nossa legislação criminal (1857), “Novo processo para a pesquiza dos principaes venenos metálicos (1878), “De l´antagonisme de la morphine et des alcaloides des solanées vireuses” (1882).

Faleceu em 14 de abril de 1885 em Battignolles, na França.


Av. General Justo, 365, 7° andar
Rio de Janeiro - 20.021-130
Tel: (21) 3970-8150