Academia Nacional de Medicina

Português Inglês


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Sessão do dia 05 de julho de 2018 – Conferência “A prevenção da infecção antes da descoberta dos germes” é realizada na ANM

A conferência “A prevenção da infecção antes da descoberta dos germes”, realizada na última quinta-feira (05) na Academia Nacional de Medicina, abordou a história da infectologia e sua evolução. O tema do evento foi uma homenagem ao bicentenário de nascimento de Ignác Fülöp Semmelweis, obstetra húngaro, conhecido por descobrir a prevenção da febre puerperal e por introduzir a profilaxia antisséptica na prática médica.

O Acadêmico Celso Ferreira Ramos Filho apresentou palestra sobre os fatores que levaram à criação da especialidade. Em sua introdução, o médico versou sobre os conceitos, histórico e tratamentos da infecção puerperal - infecção do trato genital ocorrida no período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação. Entre os fatores predisponentes da doença estão o parto cesáreo, toques vaginais frequentes ou por diversos profissionais e lacerações perineais.

Os Acadêmicos Ricardo Cruz, Celso Ramos, Antonio Nardi e Walter Zin

Apontando os processos evolutivos que resultaram na descoberta das epidemias infecciosas, o especialista versou a respeito de descobertas relacionadas à fisiologia, anatomia patológica, semiologia e a correlação anatomo-clínica. O Acadêmico apresentou então uma breve biografia de Ignác Fülöp Semmelweis e suas teorias a respeito das causas de infecção puerperal, não conhecidas na época. De acordo com seus estudos, as incidências de infecção eram maiores em enfermarias atendidas por médicos e estudantes que praticavam necropsias antes de examinar pacientes, e eram mais comuns em partos prolongados.

Segundo o Dr. Celso Ramos, algumas medidas preventivas foram estipuladas a partir das descobertas de Semmelweis: além da lavagem das mãos com água e sabão já praticada, estabeleceu-se a ablução das mãos com aqua clorina (solução de ácido cloroso HClO2), que foi posteriormente substituída por solução de hipoclorito de cálcio cáustica, por ser mais barata. Após a introdução das novas práticas, houve redução de dez vezes das taxas de infecção: de 18,3% em abril para 1,9% em agosto de 1847.

O Acadêmico concluiu a apresentação discorrendo sobre as contribuições de Semmelweis e as dificuldades enfrentadas pelo médico para divulgar e validar suas descobertas. Pontuou alguns nomes e descobertas importantes para a história da infectologia e seus avanços, entre eles a descoberta da etiologia bacteriana; a descoberta da inexistência da geração espontânea por Louis Pasteur (1822-1895); a descoberta da etiologia específica das doenças infecciosas, por Robert Koch (1843-1910); a criação da cirurgia antisséptica por Joseph Lister (1867) e a criação da cirurgia asséptica por William Stewart Halsted (1852 – 1922).

Agenda

Av. General Justo, 365, 7° andar
Rio de Janeiro - 20.021-130
Tel: (21) 3970-8150