Academia Nacional de Medicina

Português Inglês


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Sessão de 18 de maio de 2017 – ANM homenageia Clementino Fraga Filho e Ivo Pitanguy em emocionante “Sessão da Saudade”

Acadêmico Clementino Fraga Filho

Salvador, BA, 11 de agosto de 1917

† Rio de Janeiro, RJ, 11 de maio de 2016

Membro Titular – Academia Nacional de Medicina, em 27/11/1958

Em tarde Solene, a Academia Nacional de Medicina homenageou dois de seus mais notáveis Membros: os Acadêmicos Clementino Fraga Filho e Ivo Pitanguy. A já tradicional “Sessão da Saudade” foi realizada no dia 18 de maio, no Anfiteatro Miguel Couto. A cerimônica iniciou-se com as homenagens prestadas a Clementino Fraga Filho, ícone da Saúde Pública brasileira.

Em sua mensagem de lembrança, o Acad. Sergio Novis relembrou importantes momentos da carreira do saudoso confrade, ressaltou que sua relação com a Universidade Federal do Rio de Janeiro era fruto da lealdade do Acadêmico com aquela instituição, fato que também se repetia com a Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Sobre esta, destacou o trabalho de Clementino Fraga Filho na implementação da chamada “Medicina da Pessoa”, que consiste na abordagem integral do paciente, levando em consideração não apenas aspectos clínicos, mas também psicológicos e sociais, levando a um atendimento mais humanizado.

O Acad. Sergio Novis

Segundo o Acad. Sergio Novis, Clementino Fraga Filho dedicou sua vida à estruturação do Hospital Universitário da UFRJ, motivo que justificou a decisão do Conselho Universitário de, à época de sua inauguração, batizá-lo de Hospital Universitário Clementino Fraga Filho; classificou, ainda, o atual estado de abandono do Hospital como crime de lesa pátria. Ao final de sua saudação, destacou que “o Acadêmico Clementino Fraga Filho foi mais que uma pessoa, foi uma instituição”. Seu legado segue vivo por meio de seus discípulos, que levam a frente a herança de dedicação à Saúde Pública, sendo motivo de grande orgulho para a Academia Nacional de Medicina.

Na sequência, o Acadêmico Paulo Buss fez comunicação emocionada a respeito do colega de profissão, destacando que o Acadêmico era, antes de tudo, um ser humano capaz de emocionar àqueles que estivessem na sua presença, por meio de sua eloquência e sensibilidade. Relembrou o discurso de saudação feito por Clementino Fraga Filho na ocasião de sua posse, considerando esta uma das maiores honras que recebeu durante seu tempo na Academia Nacional de Medicina.

O Acadêmico Paulo Buss

Ressaltou, ainda, o envolvimento de Clementino Fraga Filho nas reformas de 1960 (reforma universitária) e 1970 (reforma do ensino médico no Brasil), afirmando que “Clementino Fraga Filho foi um homem de uma única Universidade”, referindo-se à sua dedicação à UFRJ durante estes conturbados tempos. Por fim, salientou que o Acadêmico era uma pessoa voltada para o coletivo, que costumava sempre lembrar que uma Unidade não era formada por uma única pessoa, mas de toda a equipe que a integra.

Ao final das alocuções, os Acadêmicos Carlos Alberto de Barros Franco e Celso Ferreira Ramos Filho relembraram marcantes momentos que passaram ao lado do mestre, destacando que, entre os colegas da turma de Medicina, ficaram conhecidos como “os Clementinos”, em razão de sua forte ligação com o Acadêmico.

Acadêmico Ivo Helcio Jardim de Campos Pitanguy

Belo Horizonte, MG, 5 de julho de 1923

† Rio de Janeiro, RJ, 6 de agosto de 2016

Membro Titular – Academia Nacional de Medicina, em 28/06/1973

Seguindo com a tarde de homenagens, iniciou-se a “Sessão da Saudade” do inesquecível Acadêmico Ivo Pitanguy, que contou com os discursos da Acadêmica Talita Romero Franco e do Acadêmico Claudio Cardoso de Castro, ambos colegas de profissão do Acadêmico. Em seu discurso, a Acadêmica Talita Romero Franco chamou atenção para sua incomparável capacidade de trabalho, que, aliada à sua dedicação, o transformaram em um dos brasileiros mais conhecidos em todo o mundo. Definindo-o como “mago do aqui e agora”, a Acadêmica chamou atenção para a constante atualização das técnicas do Professor Pitanguy, que foi igualmente destacado no ensino médico. Ao final de seu discurso, definiu o legado de Ivo Pitanguy como original e de importância ímpar para a Medicina brasileira, que sobrevive por meio de seus seguidores.

A Acadêmica Talita Romero Franco

Por sua vez, o Acadêmico Claudio Cardoso de Castro destacou a intimidade de Ivo Pitanguy, falando sobre seus hobbies e sobre sua forte ligação com a sua família. Claudio Cardoso de Castro foi seu aluno, terminado o curso médico (residência em cirurgia plástica) continuou como instrutor por mais 2 anos na 38ª Enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Quando saiu da Santa Casa, o convívio foi estreitado devido a constantes viagens a cursos e congressos. O Acadêmico afirmou que conversar com Ivo Pitanguy era sempre um aprendizado, chamando atenção para o fato de que o Acadêmico, juntamente com Freud e Einstein, foi considerado o “Homem do Século”.

Na sequência, o Presidente Francisco Sampaio fez uma breve apresentação sobre a vida do Acadêmico Pitanguy, enaltecendo sua trajetória profissional, com especial menção aos seus méritos como médico. O Acadêmico foi um dos brasileiros mais famosos da história, ao lado de nomes como Oscar Niemeyer e Santos Dumont.

Acadêmico Ivo Pitanguy junto a Claudio Cardoso de Castro

Ao final da solenidade, a família do Acadêmico proferiu palavras de agradecimento a todos os presentes, relembrando o bom humor inabalável do Acadêmico e as palavras emocionadas quando de sua posse como Membro Titular da egrégia instituição.

O Presidente Francisco Sampaio relembrou as contribuições de Ivo Pitanguy à ANM


Av. General Justo, 365, 7° andar
Rio de Janeiro - 20.021-130
Tel: (21) 3970-8150