Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

DESCOLAMENTO DA RETINA

DEFINIÇÃO

A retina é uma camada interna do globo ocular, responsável pela captura das imagens e transmissão destas pelo nervo ótico ao cérebro onde são processadas e viram visão.

Quando a retina descola, fica sem oxigênio pela falta de circulação adequada. Degenera rapidamente e, se não for tratada com urgência, leva a perda definitiva da visão.

 

 

CAUSAS

Existem fatores de risco para o descolamento da retina. Poderíamos citar a existência de descolamento no outro olho, história familiar de descolamento, miopia, cirurgia prévia de catarata, traumatismos, diabetes avançado e algumas doenças inflamatórias oculares.

O descolamento pode aparecer quando ocorre contração do vítreo, uma substância gelatinosa que ocupa o interior do olho, exercendo trações sobre a retina, formando roturas e descolando-a. Pode ocorrer também quando de hemorragias por oclusões e rotura de vasos, traumatismos e certas doenças vasculares e inflamatórias.

O descolamento pode ser regmatogênico, quando existem roturas na retina, puramente tracional ou exudativo.

SINTOMAS

O descolamento pode ser assintomático. Muitas vezes é precedido pela observação de flashes luminosos e opacidades flutuantes tipo moscas volantes, fios de cabelo e sensação de uma cortina que vai se fechando a medida que o descolamento evolui.

DIAGNÓSTICO

Ao serem percebidos sintomas, um oftalmologista deve ser procurado com urgência. Um exame oftalmoscópico do fundo de olho, associado a ultrassonografia, quando necessário, avaliação da acuidade visual, medida da pressão ocular, são fundamentais para o diagnóstico precoce. Tratar imediatamente é fundamental para evitar a perda da visão.

Abaixo podemos ver rotura retiniana associada ao descolamento da retina com oftalmoscopia, ultrassonografia e tomografia de coerência ótica.

 

 

TRATAMENTO

Quando feito o diagnóstico é preciso tratar imediatamente. Em certas formas mais simples, tratamento com Laser ou Crio podem ser suficientes. Estes tratamentos só podem ser realizados em fase bem inicial, quando só existem roturas ou pequenos descolamentos. Outra opção, nestes casos, é a pneumo retinopexia, quando é colocado um gás dentro do olho para expansão da retina e, posteriormente Laser ou Crio.

Nos casos mais graves, com roturas importantes e tração significativa sobre a retina, é preciso submeter a tratamento cirúrgico. Este pode ser feito com introflexão do globo ocular pela colocação de uma faixa de silicone ou mais modernamente com uma cirurgia denominada vitrectomia, quando são removidas as trações sobre a retina. Laser, gases ou óleo de silicone são aplicados dentro do olho durante o ato cirúrgico.

Abaixo rotura retiniana tratada com Laser.

 

 

PROGNÓSTICO E PREVENÇÃO

Com os tratamentos atuais, quando executados em tempo correto, a cura do descolamento da retina chega a torno de 90%.

Muito importante é, se percebidos sintomas, procurar com a máxima urgência um oftalmologista para um diagnóstico imediato e tratamento.

Quando existem fatores de risco como os citados acima e podemos observar lesões na retina do tipo afilamentos, buracos e certas degenerações, os olhos podem ser tratados profilaticamente. O Laser é em geral o tratamento mais utilizado.

Um médico oftalmologista deverá ser sempre consultado para maiores esclarecimentos.

 

Autor:

Oswaldo Moura Brasil - Membro Titular da Academia Nacional de Medicina