Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Infarto Agudo do Miocárdio é analisado no Curso de Atualização da ANM - 15 de outubro de 2015

 

Na quinta-feira, 15 de outubro, o tema do Curso de Atualização da ANM foi Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), com aula proferida pelo Acadêmico Cláudio Benchimol. O palestrante afirmou, para o debate do assunto da tarde, é fundamental o entendimento dos conceitos da Insuficiência Coronariana Aguda (ICA) e de sua classificação em Angina instável; Angina de início recente; IAM sem supra de SST e IAM com supra de SST.

Foi explicada, então, a fisiopatologia da Insuficiência Coronariana Aguda, inclusive a formação da placa aterosclerótica, do trombo, a erosão desta placa aterosclerótica e como esta placa se torna uma placa vulnerável. Também foi feita a diferenciação entre a Angina de Prinzmetal e a Doença de Takotsubo, duas situação que são confundidas com a Insuficiência Coronariana Aguda. Em relação ao diagnóstico clínico, o Acadêmico Cláudio Benchimol citou como principais sintomas uma sensação de cansaço inespecífica e a dor precordial e/ou retroesternal. O palestrante lembrou que a dor da doença arterial coronariana pode ser uma dor atípica, similar à dor pleurítica, ou com localizações pouco peculiares, como abdome, ombro, cotovelo e punho. Destacou, também, que os pacientes, muitas vezes, chegam à emergência com quadro clínico de edema agudo de pulmão, choque cardiogênico ou morte súbita.

Acerca dos exames complementares para confirmação diagnóstica e afastamento de outras causas, o Acadêmico Cláudio Benchimol ratificou a importância do eletrocardiograma, da dosagem de enzimas (CKMB, troponina e TMP), do peptídio natriurético do tipo-B (BNP) e da proteína C reativa e da medicina nuclear. Já no que diz respeito ao diagnóstico e ao tratamento invasivo, o palestrante expôs indicações clínicas para a Angioplastia Coronariana Percutânea Transluminal (PTCA) com colocação de STENT, para a cirurgia de Revascularização Miocárdica e para o uso do balão intra-aórtico. Sobre o tratamento farmacológico, abordou o arsenal de medicamentos mais usados em casos de IAM, como nitratos, AAS, clopidogrel, heparinas, betabloqueadores, antagonistas de cálcio, inibidores da ECA e os fibrinolíticos. As complicações do IAM, como Edema Agudo de Pulmão, choque cardiogênico e arritmias, também foram analisadas.

Ao final, o Acadêmico Cláudio Benchimol apresentou os benefícios da estratégia invasiva precoce no manejo das Síndromes Coronarianas Agudas, informando que os objetivos da angioplastia primária no IAM são: alcançar rápida e completa reperfusão miocárdica, evitar reoclusão e reinfarto, restaurar função do ventrículo esquerdo e minimizar reestenose. Porém, o palestrante também comunicou que os resultados dependem de experiência, estrutura, compromisso e avaliação permanente, e que este tipo de conduta, para mostrar resultados efetivos para os pacientes, deve ser um programa institucional.

O Acadêmico Cláudio Benchimol é graduado em Medicina pela UERJ e Mestre e Doutor em Cardiologia pela UFRJ. Professor adjunto de Cardiologia da UERJ, é também Chefe do Laboratório de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (UFRJ). É fellow da Universidade de Londres.