Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Diarreias Agudas é assunto do Curso de Atualização da ANM - 03 de setembro de 2015

 

Com aula ministrada pelo Acadêmico José Galvão Alves, o tema do Curso de Atualização da ANM, no dia 03 de setembro, foi Diarreias Agudas. Dando início à apresentação, o palestrante discorreu sobre o conceito de diarreia, destacando que deve haver um aumento do volume do material fecal e da frequência de episódios, além de uma redução da consistência das fezes. Ao mostrar dados epidemiológicos, informou que há cerca de 2 bilhões de episódios de diarreias por ano no mundo e, destes casos, aproximadamente 2 milhões levam o paciente a óbito.

Na sequência, o Acadêmico José Galvão Alves explicou a fisiologia intestinal, em relação à produção, circulação e absorção de líquidos no tubo gastrointestinal, e classificou os quadros de diarreias em dois grandes grupos: não-inflamatórias e inflamatórias, sendo que existe maior relação entre intestino delgado e as diarreias não-inflamatórias, assim como entre cólon e diarreias inflamatórias.

A fisiopatologia dos dois tipos de diarreias, principais causas e agentes etiológicos, o quadro clínico e a aparência das fezes foram assuntos abordados pelo palestrante com muita facilidade, clareza e didatismo. Em relação à clínica, o Acadêmico José Galvão Alves lembrou aos alunos a importância da análise da gravidade de cada caso, sempre considerando os seguintes fatores: febre maior que 38,5º C, sinais de peritonite, presença de leucócitos e de sangue nas fezes, hipovolemia, duração maior que 3 dias, acompanhamento de uma doença sistêmica.

Sobre a terapêutica, o palestrante afirmou que a hidratação correta (oral ou venosa, repondo glicose e eletrólitos), além de evitar alimentos como café, laticínios, gordura, álcool e fibras, são condutas importantes. Comunicou, também, que não é indicado o uso de anticolinérgicos e que a loperamida e o subsalicilato de bismuto devem ser utilizados apenas em condições específicas, assim como a necessidade de iniciar antibioticoterapia. Ao fim da aula, o Acadêmico José Galvão Alves tirou dúvidas dos alunos, que apresentaram situações clínicas vivenciadas e questionaram quais seriam as melhores condutas diagnósticas e de tratamento para os respectivos casos.

O Acadêmico José Galvão Alves é graduado em Medicina pela UFRJ e fez residência em Clínica Médica no Hospital São Francisco de Assis e na UFRJ. É especialista e Mestre em Gastroenterologia pela PUC-Rio e Doutor na mesma especialidade pela UFMG. Foi Professor de Clínica Médica e Gastroenterologia da Universidade Gama Filho, da Faculdade Souza Marques e da PUC-Rio. Publicou mais de 230 trabalhos em revistas e periódicos médicos, cerca de 20 livros e contribuiu em mais de 120 capítulos de livros. Atualmente, é membro de várias Sociedades Médicas, dentre elas a Sociedade Brasileira do Pâncreas e a Academia Latino-Americana de Nutrologia.