Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Arnaldo de Moraes (Cadeira No. 74)

Membro Titular

Secção de Cirurgia

Patrono da Cadeira No. 74

Eleito: 15/09/1938 - Posse: 27/10/1938 - Sob a presidência de Aloysio de Castro

Antecessor: José Alves Maurity Santos

Saudado por: Álvaro Cumplido de Sant'Anna

Falecido: 06/04/1961

Arnaldo de Moraes nasceu em 28 de agosto de 1893, na cidade do Rio de Janeiro, filho do farmacêutico Arnaldo Augusto de Moraes e da professora D. Adelaide Cruz de Moraes.

Bacharel em Ciências e Letras pelo Externato Pedro II, em 1910, formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de janeiro, em 1915, defendendo a tese intitulada “Apresentações transversas”. Foi interno efetivo de Clínica Obstétrica na mesma faculdade.

Atuou como adjunto do Hospital da Misericórdia, desde 1916, com exercício na 24ª Enfermaria (Maternidade da Faculdade), na 23ª Enfermaria (Cirurgia de Senhoras) e na 27ª Enfermaria (Maternidade), médico do Hospital Pró-Matre, assistente da Maternidade do Rio de Janeiro, assistente extranumerário de Clinica Cirúrgica da Faculdade de Medicina, no serviço do professor Brandão Filho, Inspetor sanitário, por concurso, do Departamento Nacional de Saúde Pública, com exercício na Higiene Pré-natal, em 1920.

Foi Livre Docente de Clínica Obstétrica, por concurso, da Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro, em 1924, e Professor Catedrático de Clínica Ginecológica da Faculdade Fluminense de Medicina, eleito pela Congregação e, por concurso, da Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro, em 1935.

Integrou várias instituições cientificas nacionais e estrangeiras: Membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, Membro Fundador do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Membro da “American Public Health Association”, do “ American College of Surgeons”, e da “Associacion Médica Argentina”, Membro Correspondente da Sociedade Argentina de Ginecologia e Obstetrícia, Membro de Honra da Sociedade de Ginecologia de Bucareste e Membro efetivo da “Deutsche Gesellschaft fur Gynakologie”.

Comissionado pelo Departamento Nacional de Saúde Pública e sob o patrocínio da Fundação Rockefeller, em 1927 e 1928, foi estudar nos Estados Unidos a organização de Higiene Pré-natal e de Assistência Maternal. Durante a sua estada naquele país, frequentou cursos da Universidade de Johns Hopkins, na Escola de Higiene e Saúde Pública, bem como, frequentou o serviço de Higiene Pré-natal e as Clínicas de Obstetrícia e Ginecologia. Fez cursos “post graduate” em Obstetrícia e Gonorreia na mulher, na Universidade de Harvard, e cursou as aulas de Higiene Pré-natal do curso de Higiene Infantil da Escola de Saúde Pública da mesma universidade.

Ainda em comissão do Departamento Nacional de Saúde Pública, estudou as organizações de Higiene Pré-natal da Alemanha, da Áustria e da França e fez cursos de aperfeiçoamento no Hospital da Charité, em Berlim.

Regeu cursos privados de Clínica Obstétrica na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1924, e os cursos de patologia do recém-nascido, no “Curso de Pediatria e Higiene Infantil” da Universidade do Rio de Janeiro, em 1931 e 1932.

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, em 1938, apresentando a memória intitulada “Orientação terapêutica no carcinoma da vulva”. É o Patrono da Cadeira 74.

Fundou e dirigiu os “Anais Brasileiros de Ginecologia”, em 1936, e o Instituto de Ginecologia da Universidade do Brasil, sendo pioneiro no país na introdução e difusão de técnicas médicas para o controle do câncer de colo de útero, tornando-se referência nas ações sobre a doença na época. Fundou, ainda, em 1938, a Casa de Saúde e Maternidade Arnaldo de Moraes, em Copacabana, atualmente o Hospital São Lucas, e foi o primeiro Presidente do Lions Clube do Rio de janeiro, em 1952.

Destacam-se na sua imensa obra científica os seguintes trabalhos: “Tratamento do aborto incompleto” (1917), “Fisiologia patológica da infecção puerperal e deduções para a terapêutica” (1924), “Propedêutica obstétrica” (1924), “Sã maternidade – conselhos e sugestões para futuras mães”, com a qual recebeu o Prêmio Madame Durocher da Academia Nacional de Medicina (1929), “Aspectos atuais da patologia do recém-nascido” (1933), “Orientação Moderna em Ginecologia” (1935), Diagnóstico da esterilidade feminina” (1936), “Puberdade e Climatério” (1937) e “A colposcopia no Brasil: seus começos e desenvolvimento no Instituto de Ginecologia da Universidade do Brasil” (1935).

Faleceu na sua cidade natal, no dia 6 de abril de 1961.