Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Antônio Ibiapina (Cadeira No. 55)

Membro Titular

Secção de Medicina

Cadeira No. 55 - Patrono: Octávio de Freitas

Eleito: 14/06/1956 - Posse: 30/08/1956 – sob a Presidência de Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado por: José Valente Collares Moreira

Antecessor: Antonio de Moraes Austregésilo

Falecido: 30/06/1964

O Dr. Antônio Ibiapina nasceu no dia 31 de maio de 1904, em Sobral, no Estado do Ceará. Filho de Antônio Ibiapina e de D. Maria do Carmo Ferreira da Rocha.

Cursou Medicina na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Durante a faculdade, trabalhou à noite no Departamento dos Correios e Telégrafos, para custear seus estudos médicos. Em 1926 já trabalhava como Interno de serviço auxiliando o Dr. Antônio Austregésilo Rodrigues Lima na antiga 20ª Enfermaria do Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Lá permaneceu até 1929, quando se formou, defendendo tese intitulada “Crises oculógenas na encefalite letárgica”.

Adiante, começou a se dedicar à tisiologia, fundando no final do ano 1932 o Serviço de Tisiologia da Caixa de Aposentadoria e Pensões dos Empregados da Light. E, em 1935, começou a ministrar aulas sobre o tema na Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, no 1º Curso desta especialidade da Cátedra – ao lado do Prof. Vieira Romeiro. E, em 1937 conquistou a Livre Docência de Tisiologia nesta instituição.

Em 1939, ele conquistou a Cátedra com louvor apresentando a tese “Pneumotórax Bilateral Ambulatório”. E, junto a essa conquista, passou a lecionar muitos cursos sobre o tema. Alguns anos depois, em 1949, o Dr. Ibiapina obteve o título concursado de Livre Docente de Tisiologia na Faculdade Fluminense de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, apresentando a tese “Da Epidemiologia à Profilaxia da Tuberculose”.

Criou o Núcleo Profiláctico Universitário por meio de um convênio assinado entre a Universidade do Brasil e o Serviço Nacional de Tuberculose. E, então, com a criação do Instituto de Tisiologia e Pneomonia, este Núcleo passou a integrar uma de suas divisões.

Além disso, o Dr. Ibiapina fundou, em 1954, a Revista Tisiologia e Pneomologia.

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1956, apresentando Memória intitulada “O mecanismo da cura das lesões tuberculosas à luz de novos conhecimentos”.

O Acad. Hélio Fraga, antigo discípulo de Ibiapina, assinalou que a tenacidade foi um dos traços mais marcantes de seu amigo médico e mestre. Além disso, o Dr. Fraga destaca a importância do Instituto de Tisiologia e Pneumonia como “obra que vingou em tampouco tempo graças à notória capacidade de trabalho de seu fundador, permanentemente obstinado na materialização de seus propósitos”.

O Dr. Ibiapina faleceu no Rio de Janeiro no dia 30 de junho de 1964.