Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Honório José da Cunha Gurgel do Amaral

Membro Titular

Eleito: 11/10/1830 - Posse: 16/10/1830 – Sob a presidência de José Francisco Xavier Sigaud

Falecido: 25/03/1850

Nascido a 30 de maio de 1796. Filho do cirurgião Patrício José da Cunha Gurgel do Amaral e de D. Engracia Mathildes de Macedo.

Estudou a língua latina com o monsenhor Antonio Pedro Monteiro de Drummond, no ano de 1813 e o francês com o professor régio padre Pedro Renato Boiret, no seminário episcopal de São José, em 1815.

Formou-se em cirurgia em 7 de maio de 1828. Obteve as patentes de: Alferes-ajudante de Cirurgia do Regimento de Artilharia da Corte, por ter completado o curso de Anatomia Teórica e Prática, a 10 de dezembro de 1813; de Tenente Cirurgião-mór agregado à mesma arma, a 13 de maio de 1820; de Capitão Cirurgião-mór a 14 de novembro de 1826 e de Major Cirurgião-mór de Brigada da 1ª Classe do Exército, a 12 de janeiro de 1843, acumulando assim, até que faleceu, 37 anos de serviço cirúrgico-militar.

Marchou para Pernambuco na divisão dos Voluntários Leais de El-Rei a 18 de abril de 1817, tendo exercido o cargo de 2º Cirurgião do Hospital Real Militar. Regressou à Corte em 17 de abril de 1829.

Cavaleiro da Ordem de Cristo e da Ordem Imperial da Rosa. Membro correspondente da Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, pertencendo a várias outras, quer científicas, quer beneficentes. Foi nomeado pelo Governo em diferentes épocas para comissões próprias de sua profissão, tendo ocupado a direção e a presidência de algumas delas. Sócio Efetivo da Sociedade Auxiliadora Nacional.

Desempenhou muitos cargos na Santa Casa de Misericórdia, sendo escrivão por quatro anos. Prestou iguais importantes serviços na Imperial Irmandade da Cruz dos Militares, na qualidade de Tesoureiro.

Na ocasião de sua posse na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “A Cárie dos Ossos”. Na instituição, foi Tesoureiro-Arquivista (1832; 1833; 1836-1837; 1837-1838; 1838-1839; 1839-1840; 1842-1845; 1845-1847; 1847-1848; 1848-1850) e Secretário Adjunto (1831).

Faleceu a 25 de março de 1850. Foi sepultado no cemitério de São Francisco de Paula.