Academia Nacional de Medicina

Português Inglês


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Celmo Celeno Porto

Nasceu em 1934 em Araguari (MG), na fazenda de seus avós maternos, por imposição de sua avó Laudelina, que era a mais perfeita encarnação da “matriarca”. Suas filhas eram obrigadas a ir para a sua casa para ter seus filhos. Os umbigos dos netos eram enterrados no seu belo jardim e no local era plantada uma árvore!

Filho de Calil Abrão Porto e Lourdes de Araújo Porto, foi casado em primeiras núpcias com Vírginia Lemos Porto, com quem teve três filhos – Arnaldo, Liliana e Godiva – que lhe deram seis netos – Bruna, Camila, Kalil, Artur, Frederico e Eduardo – e uma bisneta – Maria Fernanda. Ao enviuvar casou-se com Indiara Artiaga de Almeida Castro.

Passou a infância em Abadia dos Dourados, um povoado na divisa entre os estados de Minas Gerais e Goiás, onde seu pai, Dr. Calil Porto, praticou a medicina, logo após sua graduação na Faculdade de Medicina da Praia Vermelha, lá permanecendo durante vinte anos. Desde muito pequeno acompanhava seu pai, a pé ou a cavalo, nas visitas que ele fazia aos pacientes que não podiam ir ao consultório, instalado na parte da frente de sua casa. (Os pacientes graves ficavam internados no quarto de hóspedes. Donde se pode deduzir que a escolha da medicina foi uma continuação de sua infância).

Seus primeiros contatos com livros foi com o Mestre-Escola Constâncio Lopez, proprietário e único professor da “Escola de Ler, Escrever e Contar”, como se denominava naquela época, para onde iam todos os meninos e meninas a partir dos seis anos de idade. O detalhe que fez a diferença é que o Prof. Lopez era um Catedrático da Universidade de Madrid, que teve de fugir quando sua vida estava em risco por fazer oposição ao General Franco. Como todo Ditador, o “Generalíssimo” Franco, como se autodenominava, passou a perseguir e assassinar seus opositores, principalmente os intelectuais. O Prof. Lopez colocou na mala os livros que considerava mais importantes, entre eles o Don Quixote em espanhol, que ele lia para seus alunos e veio para o Brasil. Acredita-se ser esta a raiz mais profunda de sua formação cultural.

Aos onze anos foi para Belo Horizonte para fazer o ginasial e o científico, que corresponde ao fundamental e médio, no Instituto Padre Machado, que tinha uma proposta pedagógica avançada para aquela época, com grande biblioteca, modernos laboratórios de ciências e ótimos professores.

Entrou para a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais em 1953. Foi um estudante muito atuante na vida acadêmica e política, como monitor de Anatomia, Bioquímica e Semiologia Médica, Presidente do Diretório Acadêmico Alfredo Balena, com participação intensa principalmente nas questões de ensino. Durante sua gestão organizou o Fórum Brasileiro de Problemas Médicos-Sociais que teve a presença do então Presidente da República, Juscelino Kubistchek, ex-aluno da Faculdade de Medicina da UFMG. Ainda como estudante fez suas primeiras incursões na área de pesquisa, integrando o grupo do Prof. Arnaldo Elian, um dos responsáveis pela introdução da cardiologia moderna em Minas Gerais.

Formou em 1958, tendo sido o Orador da Turma. Cinco anos depois defendeu uma Tese de Doutorado na Faculdade UFMG. Foi considerado fato inédito, um médico do interior – naquela época estava trabalhando em Araguari, MG – fazer uma Tese, aprovada com nota 10, cuja síntese, publicada nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, ainda é citada nos estudos sobre Doença de Chagas.

Além de Especialista em Clínica Médica e Cardiologia, fez Curso de Medicina Tropical na USP e Pedagogia, ministrado pela ABEM.

Iniciou sua carreira universitária em 1966 na Faculdade de Medicina da UFG, como Regente da Disciplina de Semiologia Médica. Renovou o ensino desta Disciplina com a introdução de Semiologia do Idoso e o ensino da Relação Médico-Paciente, com diferentes métodos, inclusive psicossociodrama e Grupos Balint.

Foi um dos Fundadores da Sociedade Goiana de Cardiologia e da Sociedade Brasileira de Clínica Médica – Regional Goiás, e da Academia Goiana de Medicina, da qual foi o Primeiro Presidente. Foi Chefe do Departamento de Clínica Médica, Coordenador do Curso de Medicina, Diretor da Faculdade de Medicina da UFG, Presidente da Comissão que criou e instalou os Cursos de Enfermagem e Nutrição da UFG. Coordenou a Comissão que criou o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (Mestrado e Doutorado), do qual foi o Primeiro Coordenador. Representou a UFG no Comitê de Pós-Graduação da CAPES e participou da Comissão de Avaliação de Escolas Médicas do MEC. Integrou a Diretoria da ABEM no mandato do Prof. Clementino Fraga Filho, quando ficou responsável pela organização dos Cursos de Pedagogia.

Atualmente é Professor Emérito da Faculdade de Medicina da UFG, Professor Orientador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da UFG, Membro Emérito da Academia Goiana de Medicina e Membro Honorário da Academia Nacional de Medicina, Membro do Núcleo de Estudo e Pesquisa de Envelhecimento (NEPEV) da UFG e Presidente do Centro de Estudos e Pesquisas do Hospital Santa Helena.

Além de mais de uma centena de artigos científicos e capítulos, publicou os livros: Exame Clínico (8ª edição), Semiologia Médica (7ª edição), Vademecum de Clínica Médica (2ª edição), Clínica Médica na Prática Diária (1ª edição), Interação Medicamentosa (1ª edição), Doenças do Coração (2ª edição), Cartas aos Estudantes de Medicina (2ª edição), Dr. Calil Porto, O Menino e a Borboleta (1ª edição), todos publicados pela Editora Guanabara-Koogan, do Rio de Janeiro, disponíveis em formato físico e ebook. (Informações no Currículo Lattes)

Recebeu inúmeras Láureas e Prêmios, entre os quais: Comenda Pedro Ludovico Teixeira, Grande Oficial do Mérito Anhanguera, Cidadão Goiano, Cidadão Goianiense, Comenda Cora Coralina, Honra ao Mérito Luiz Rassi pela AMG, Medalha Prof. Mário Rigatto pela Faculdade de Medicina da UFCE, Paraninfo dos Formandos da PUC-Goiás, Destaque Docente pela SBC, Sócio Honorário da SBCM, Membro Honorário da Academia de Medicina do Piauí, Membro Honorário da Academia de Artes e Letras de Araguari, Honra ao Mérito pela Sociedade Paulista de Clínica Médica, Honra ao Mérito pela Academia Alagoana de Medicina, Comenda Fernando Figueira pelo CFM, Membro Honorário da Liga Acadêmica de Clínica Médica da Regional da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Patrono da Liga de Cardiologia da Faculdade de Medicina da UFPI, Homenagem Especial pelos Estudantes da UFPB, Homenagem Especial pelos alunos de Medicina de Rondônia, Homenagem Especial pelos estudantes da Universidade Anhembi-Morumbi.


Av. General Justo, 365, 7° andar
Rio de Janeiro - 20.021-130
Tel: (21) 3970-8150