Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Metástase hepática de tumores colorretais

Na sessão de 31/10/2013, o Dr. Hugo Pinto Marques apresentou à ANM um resumo dos 1.071 casos de metástases hepáticas, oriundas de tumores colorretais, que sua equipe tratou cirurgicamente no Centro Hepato-Bilio-Pancreático e de Transplantação do Hospital Curry Cabral (em Lisboa, Portugal).

Cerca da metade dos pacientes que sofrem de câncer colorretal poderão desenvolver metástases hepáticas em aproximadamente dois anos após a ressecção do tumor primário. Esta é a causa mais comum de morte destes pacientes que, quando não-tratados, têm previsão de sobrevida em torno de 9 meses. Porém, com o tratamento cirúrgico, as taxas de cura chegam a cerca de 60%, no caso de metástase única.

O cirurgião mostrou que o tratamento destes casos melhorou muito nos últimos anos, com avanço dos quimioterápicos e das técnicas cirúrgicas, que já permitem operar pacientes com enormes massas tumorais. “36% de nossos pacientes atuais não seriam considerados operáveis há poucos anos atrás”, afirmou. “Já chegamos a operar um paciente com 30 metástases”.

Um dos temas polêmicos abordados na palestra foi que os melhores resultados acontecem nos pacientes que não fazem quimioterapia logo antes da cirurgia, ou que fazem até, no máximo, quatro ou cinco sessões prévias. “É uma decisão controversa, mas devido às complicações pós-operatórias, temos optado por começar a quimioterapia após a cirurgia”, completa.