Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Agenor Edésio Estelita Lins (Cadeira No. 65)

Membro Titular

Secção de Cirurgia

Patrono da Cadeira No. 65

Eleito: 13/06/1929 - Posse: 20/06/1929 - Sob a presidência de Miguel de Oliveira Couto

Saudado por: Antônio Benevides Barbosa Vianna

Antecessor: Ernani Carlos de Menezes Pinto

Falecido: 05/12/1946

O Dr. Agenor Edésio Estelita Lins nasceu no dia 10 de janeiro de 1890, em Recife, no Estado de Pernambuco, filho de Pedro Estelita Carneiro Lins e de D. Francisca Sampaio Lins.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1912, defendendo a tese intitulada “Das intervenções cirúrgicas nas supurações da mão”. Foi Interno da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e realizou estágio docente no Serviço de Oswald S. Lowaloy, em Nova York.

Em sua viagem à Europa para aperfeiçoar seus conhecimentos, frequentou a Faculdade de Paris, tendo seguido os cursos de Delbet, Durval, Pauchet, Gosset, Faure e Papin, de quem foi Assistente, além de Joseph, Licttenberg, Ringleb e Casper, em Berlim.

Foi médico da Assistência Municipal, da Associação de Imprensa e do Aero Club Brasileiro, Chefe de Clínica Cirúrgica da Cruz Vermelha Brasileira e Diretor da casa de Saúde Estelita Lins e do Instituto de Clínica Urológica.

Foi, ainda, Professor da Escola de Enfermeiras da Cruz Vermelha e da Escola de Farmácia e Odontologia do Rio de Janeiro.

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, em 1929, apresentando a memória “Sobre a chilúria”, tornando-se Patrono da Cadeira 65 da Secção de Cirurgia, foi Vice-Presidente durante a Presidência do Acadêmico Antonio Austregésilo Rodrigues Lima e, ainda, Diretor do Museu e 1º Secretário.

Ainda em 1929, junto com os Acadêmicos Antônio Benevides Barbosa Vianna e Rolando Monteiro, foi idealizador da fundação do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Além disso, foi fundador de algumas casas especializadas em Urologia, uma em Vila Isabel e outra em Laranjeiras, bem como a Sociedade Brasileira de Urologia, tendo sido seu Presidente. O Dr. Estelita Lins também ocupou a Presidência do Sindicato Médico Brasileiro, o atual Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro. Na ocasião da fundação da Confederação Americana de Urologia, o Dr. Estelita Lins foi eleito Secretário-geral.

Era, ainda, Membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, Secretário Geral e Sócio Benemérito da Cruz Vermelha Brasileira, Sócio Correspondente da Sociedade Fluminense Médico-Cirúrgica, da Sociedade Internacional de Urologia de Paris, da Associação Francesa de Urologia e da Sociedade de Urologia de Berlim.

Durante a Segunda Guerra Mundial, compôs a FEB – Força Expedicionária Brasileira, no posto de Major, contribuindo para o Corpo de Saúde da equipe enviada pelo governo brasileiro.

Segundo o Acadêmico Álvaro Cumplido de Sant’Anna, o Dr. Estelita Lins, seu Patrono, foi um dos mais importantes urologistas brasileiros e realizou diversos grupos de pesquisa em sua casa, no Estado de Santa Catarina, no Espirito Santo e em instituições como a Policlínica Geral do Rio de Janeiro e a Cruz Vermelha. Foi, inclusive, fundador e pesquisador da “Revista de Urologia”. Realizou também trabalhos de tradução de documentos e do Tratado de Urologia redigido por Oswald S. Lawaloy, seu mestre e ilustre colega.

Escreveu, também, vários artigos para “O Jornal”, “A época”, “Correio da Manhã”, “O País”, “Gazeta de notícias”, dentre outros, além de vários trabalhos publicados, onde destacam-se: “O laxativo vesical”, “Diagnóstico físico pelo cateterismo ureteral cistoscópico”, “Tratamento racional da uretrite gonocócica no homem”, “Enxerto venoso da uretra” e “O adenoma prostático”.

Foi condecorado Comendador da Ordem de São João Baptista de Espanha e Cavaleiro da Ordem do Bem e do Dever da França.

O Dr. Estelita Lins faleceu no Rio de Janeiro, no dia 5 de dezembro de 1946.