Academia Nacional de Medicina

Av. General Justo, 365, 7° andar, Rio de Janeiro - 20.021-130 - Tel: (21) 3970-8150
Busca


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Celso Ramos é o mais novo imortal da ANM

O infectologista Celso Ferreira Ramos Filho tomou posse na Academia Nacional de Medicina, em cerimônia no dia 27 de novembro de 2012 no Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Ramos passa agora a ocupar a cadeira 20 da Secção de Medicina, cujo patrono é Francisco de Paula Cândido.

 

O acadêmico Mario Barreto Corrêa Lima fez o discurso de boas-vindas, trazendo a memória de Celso Ramos pai, médico cirurgião que sonhava ver seu filho médico e depois se tornou convicto de que um dia seria eleito na ANM: “Celso Ferreira Ramos pai, onde quer que hoje festejai, regozijai-vos! Seu filho dileto acaba de transpor os umbrais deste nobre sodalício com todas as honras, pompas e circunstância.”

 

Em seu discurso de posse, Ramos agradeceu aos colegas acadêmicos e ressaltou sua relação de amizade com os membros da comitiva de honra que o conduziu ao salão, formada pelos acadêmicos: Cantídio Drumond Neto, Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro, José Rodrigues Coura, Omar Lupi da Rosa Santos e Pietro Novelino. O acadêmico Clementino Fraga Filho não pôde comparecer por motivo de saúde.

 

Eduardo Lopes Pontes foi designado para a entrega do diploma e conduziu o novel para a saída do salão junto com a comitiva de honra. Segundo o homenageado, veio de Lopes Pontes o incentivo para que concorresse à ANM. “É fácil, disse ele. Incauto, inocente e iludido, eu acreditei. E hei-me aqui hoje, nove anos e cinco eleições depois”. Porém, antes de concorrer, Ramos afirmou que pediu autorização de Coura e Fraga.

 

Como tradição, o novel acadêmico relembrou a história do patrono de sua cadeira e dos que o sucederam, em especial do último ocupante. O gastroenterologista mineiro Luiz de Paula Castro entrou na Academia já aos 70 anos, em novembro de 2002, e faleceu em julho de 2011: “Eu apenas sucedo Paula Castro, não vou conseguir substituí-lo”.

 

Foi ressaltado também o papel da ANM em novos tempos: “A Academia deve preparar sua entrada no terceiro milênio”, reconhecendo seu papel nesse desafio. Por fim, Ramos agradeceu aos seus pacientes, alunos e familiares. “Ou melhor, agradeço a Deus pela família que tenho ao meu lado.” E completou com uma citação de Cecília Meireles: “Somos sempre um pouco menos do que pensamos e raramente um pouco mais”.

 

Formado pela UFRJ, em 1971, o novo acadêmico tem Pós-graduação (lato sensu) em Metodologia do Ensino Superior (Departamento de Educação da PUC-Rio), Mestrado em Doenças Infecciosas e Parasitárias (UFRJ) e Especialização em Epidemiologia Clínica pela Universidade de Newcastle (Austrália). É Professor adjunto da UFRJ e da Faculdade Souza Marques e foi ainda docente da Faculdade de Ciências Médicas de Volta Redonda  (1975-1978) e Professor auxiliar da Escola de Medicina e Cirurgia, da UniRio (1975-1978).

 

Celso Ramos também é Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) e da Associação Médica Brasileira; Presidente das Sociedades de Infectologia do Rio de Janeiro, Brasileira de Infectologia, de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Na área internacional, é representante da América Latina e do Caribe no Governing Council da International AIDS Society, no Executive Committee da International AIDS Society, Vice-chair do Board of Trustees da International Association of Physicians in Aids Care, Sócio Correspondente  da Associação Médica de Cooperação Lusófona e Iberoamericana (Lisboa).

 

Entre os prêmios e distinções, foi agraciado com o prêmio Integración Latinamericano 2002, pela Câmara Internacional de Pesquisas e Integração Social, The World Medal of Freedom, (2007) concedida pelo American Biographical Institute, Diploma de Mérito Cultural 2011, da Academia Brasileira de Médicos Escritores, e recebeu ainda o Certificate of Appreciation and Recognition for Cooperation and Leadership in Planning and Implementing the Brazil-CDC Colaborative Aids Study, entre outros.

 

O Acadêmico é Membro do comitê científico de diversos periódicos nacionais e internacionais, consultor de vários órgãos internacionais e nacionais como Opas, OMS, Unaids, Caribbean Epidemiology Centre, Finep, Anvisa, Cremerj, Ministério da Saúde, entre outras instituições, além de ter sido membro de três missões de cooperação do Brasil junto a países da América Central e do continente africano.









Agenda