Academia Nacional de Medicina

Português Inglês


Anais da Academia

Veja a última edição do
Anais da academia

Adauto Junqueira Botelho (Cadeira No. 57)

Membro Emérito

Secção de Medicina

Cadeira No. 57 - Patrono: Juliano Moreira

Eleito: 06/11/1930 - Posse: 27/11/1930 - sob a Presidência de Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Henrique de Britto Belford Roxo

Antecessor: Juliano Moreira

Emérito: 22/11/1956

Falecido: 04/02/1963

Nasceu em 12 de maio de 1895, no Estado de Minas Gerais. Filho de Francisco de Andrade Botelho e de Maria Nazareth Botelho.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina em 1916 defendendo a tese intitulada “Contribuições para a etio-patogenia da demência precoce - disendocrinias pela reação de Abderhalden”.

Após sua formatura, exerceu os cargos de assistente extraordinário da Clínica Psiquiátrica em 1917 e no ano seguinte tornou-se assistente interino do Hospital Nacional de Alienados e chefe de laboratório da Clínica Psiquiátrica.

Em 1921, juntamente com Antônio Austregésilo, Ulysses Vianna e Pedro Pernambucano Filho, fundou o Sanatório Botafogo, primeira clínica particular dedicada a doentes mentais. Ainda em 1921, tornou-se Alienista em comissão do Hospital Nacional de Alienados e dois anos depois foi assistente efetivo do Hospital Nacional de Alienados.

No ano de 1925 chefiou a clínica da Clínica Psiquiátrica e no mesmo ano, através de concurso, ingressou na carreira acadêmica como livre docente da clínica Psiquiátrica da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e professor interino da Clínica Psiquiátrica. Chefiou como Psiquiatra no Hospital de Psicopatas em 1927 e foi chefe da assistência a Psicopatas.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1929.

De 1941 a 1954, coordenou o Serviço Nacional de Doenças Mentais (SNDM) e, entre 1956 e 1958, foi diretor do Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil (IPUB). Também foi diretor do Jornal Brasileiro de Psiquiatria.

Publicou vários trabalhos de sua especialidade, dentre estes “Sobre a síndrome de Ganser” (1920), “Hemiatropia facial progressiva” (1924), “Etheromania” (1924), “Quociente recheano de Ayala” (1926) e “Electrotherapia nas doenças nervosas e mentaes” (1929).

Faleceu em 4 de fevereiro de 1963.


Av. General Justo, 365, 7° andar
Rio de Janeiro - 20.021-130
Tel: (21) 3970-8150